Fui abraçar o sol,

Mas não consegui.

O sol é inabraçável.

Eu tentei, confesso.

Corri em sua direção,

Mas ele fugiu de mim.

 

Comecei a correr.

Ele era bem pequenino,

Mas começou a crescer.

E ficou com raiva de mim

Porque queimava muito forte.

E continuava fugindo de mim.

 

Cansado, nem conseguia andar.

E ele não estava mais tão zangado,

Até me cortejava com uma brisa doce.

Acho que teve pena de minha fadiga.

Mas eu queria abraçá-lo muitíssimo.

Mesmo afetuosamente, ele ia, fugia.

 

Desisti, exausto, de abraçá-lo com meus braços.

Ele é muito maior e, anterior e posterior a mim.

Sentei na areia gelada e fiquei olhando seu rosto,

Enquanto ele se despedia de mim e começava a ir

Levou o dia com ele qual grinalda de noiva que vai

Então eu o alcancei e o abracei com a minha alma.

 

Boa noite, Sol, boa noite

 

 

EDNEY MELO

Anúncios