Ai, ai, se eu tivesse mais duas asas,
E eu voejasse para uma qualquer casa
Ou pousasse em qualquer barco a vela
Que iluminasse para eu pintar uma tela
Daquela irretocabilíssima, ó paisagem!
da qual me contou um menino-homem
Andrajoso rei de todos e de alguém

Ai, ai, se eu fizesse o meu pensamento
Se tornar um beijo gostoso do vento
No rosto daquela maior pequena flor
Com a qual escreveria sobre o amor
Tentando imaginar a cor do seu gosto
Que nasce na alma de um antigo broto
Renascentemente na festa e no mosto

Ai, ai, se minha mãe fosse Intuição,
E se meu pai fosse Descontentamento,
E o meu cônjuge fosse Desconstrução,
O meu irmão, então, seria Conhecimento,
A minha filha, essa seria Oportunidade
O meu filho seria o sopro sutil de Intento
E eu, eu somente poderia ser Curiosidade

Ai, ai, se sumissem com esse se…

EDNEY MELO

Anúncios