Quando um dia difícil pode trazer algum fruto bom. Que tal um poema, aqui, criado direto nessa caixinha?

Ela veio, mas não pôde ficar

A Dor bateu em minha porta, já de manhã cedo
Olhei pelo olho mágico. Ah, senhora indesejável!
Fiquei meio chateado, meio trêmulo de medo.
Faz tempo que não aparecia, velha miserável!

Insistiu, bateu, bateu, bateu. Eu fingi não estar.
Mas não adiantou. Ela sabia onde me atingir.
Respirei fundo e a deixei entrar e até sentar.
Ela olhou no fundo dos meus olhos e começou a falar.

Que conversa chata! Grunhidos cenas entrecortadas,
Lagrimas antigas, imagens inacabadas,
Paredes, muros, nomes, rostos semi-esquecidos, sonhos, visões,
Terror de morte, vontade de desistir, tantas decepções…

Mas, de uma hora para outra, eu ergo a cabeça
E olho bem nos olhos dela. Eu preciso enfrentar.
CHEGA! Fora daqui, voce não pode ficar, obedeça!
Tenho quem me entenda, quem me ouça pra consolar.

Eu abri a porta, pouco educadamente, e pedi:
Você precisa partir. Eu preciso receber outra pessoa.
Ela baixou a fronte, meio grogue, teve que ir
E eu recebi a Dona Paz, pessoa doce que me abençoa.

20130502-143543.jpg

Anúncios